Testes em alergia / imunologia

Os testes cutâneos podem ser úteis em vários tipos de alergia para confirmar o diagnóstico. Devem ser sempre relacionados com a história clínica do paciente.

 

TESTE DE PUNTURA (“PRICK TEST”)

É o teste mais utilizado na prática clínica do especialista. É seguro e de fácil execução. São usados extratos alergênicos padronizados: uma gota para cada alérgeno (ácaro, fungos, pólens, alimentos, etc.) na superfície volar do antebraço. A pele é perfurada com uma lanceta e após 15 minutos é realizada a leitura do teste.

O paciente deve suspender o uso de anti-histamínicos (ex: Loratadina, Cetirizina, Fexofenadina, etc) 96 horas antes da realização do teste ou 14 dias antes no caso do uso prévio de Doxepina.

O teste cutâneo de leitura imediata geralmente é realizado em crianças acima de dois anos.


 

 

TESTE INTRADÉRMICO

O teste intradérmico está indicado quando o teste de puntura for negativo. Pode ser usado na avaliação da imunidade tardia (por células). O antígeno (ex: fungo) é injetado na derme superior com seringa e agulha apropriada. A leitura é realizada após 24-48 horas.


 

 

TESTE DE CONTATO (“PATCH TEST”)

É usado para se detectar e definir possíveis agentes químicos que podem causar uma dermatite alérgica de contato. Com o teste podemos comprovar a sensibilização (alergia) da pele de um paciente a determinada substância.
A pele do paciente deve estar limpa, sem nenhum tipo de substância (cremes, pomadas, etc). O teste é aplicado na região dorsal do tronco (são usadas substâncias de origem conhecida e padronizadas – bateria padrão Standard composta por 30 substâncias).
O teste é retirado após 48 horas e realizada a primeira leitura. A segunda leitura (a leitura final) é feita após 96 horas da colocação do teste.
Os pacientes não deverão estar em uso de imunossupressores ou corticoides sistêmicos 30 dias antes do teste de contato. Os corticóides tópicos não devem ser aplicados no local da aplicação do TC pelo menos 72 horas antes deste.

Fontes: Revista Brasileira de Alergia e Imunopatologia –Vol. 28, No. 2, 2005
Revista Brasileira de Alergia e Imunopatologia – Vol. 34, No. 3, 2011


 

 

TESTE PARA AVALIAR REAÇÕES ADVERSAS A DROGAS (MEDICAMENTOS)

É realizado apenas em ambiente hospitalar com termo de consentimento assinado pelo paciente.


 

 

TESTE DE PROVOCAÇÃO ORAL

É o padrão ouro para confirmar ou excluir o diagnóstico de alergia alimentar ou para verificar a aquisição de tolerância ao alimento.
É realizado em ambiente hospitalar, pois durante o teste, o paciente deve ingerir o alimento envolvido em doses crescentes (sendo observado pelo médico assistente), a fim de verificar a ocorrência ou não de reações adversas, os tipos de reações apresentadas e a quantidade de alimento necessária para desencadear os sinais e sintomas.
Pode ser benéfico para o paciente, definindo a necessidade real de restrições alimentares, apesar do risco de reações graves.

Fonte: Guia Prático de diagnóstico e tratamento da Alergia às Proteínas do Leite de Vaca mediada pela Imunoglobulina E. Asbai 2012.


 

 

TESTES EM URTICÁRIAS FÍSICAS

TESTE PARA AVALIAR URTICÁRIA DE PRESSÃO TARDIA (TÉCNICA DE WARIN)

Na região volar do antebraço é colocada uma bolsa com alça de 3 cm de largura e peso de 4Kg durante 5 minutos. Depois retira-se a bolsa e a interpretação do teste é feita após 15 minutos e em 6 horas.

TESTE DO CUBO DE GELO

É usado para avaliar urticária ao frio. Um cubo de gelo envolto em um plástico é colocado na parte no antebraço do paciente durante 5 minutos. Depois, retira-se o cubo de gelo e a leitura do teste é realizada em 15 minutos.

  

 

TESTE DE URTICÁRIA AO CALOR

É usado para diagnosticar urticária ao calor. Pode ser feito por colocação na pele de um cilindro com temperatura entre 40 a 50 graus Celsius, durante 4-5 minutos. A interpretação do teste é feita minutos após o estímulo.

FOTOTESTE

É usado para diagnosticar urticária solar. É um teste de provocação que determina o comprimento de onda responsável pelo aparecimento das lesões. Deve ser realizado em área de pele coberta, utilizando diferentes comprimentos de ondas.

TESTE PARA AVALIAR DERMOGRAFISMO

É feito pela realização de pressão na pele com um material de ponta romba ou por um dermografômetro com pressão de 36g/mm.

    


 

TESTE PARA AVALIAR URTICÁRIA AQUAGÊNICA

São aplicadas compressas molhadas, à temperatura corporal, por 20 a 30 minutos ou com banho com água a 37 graus Celsius.

site-teste-exposicao-agua-1   site-teste-exposicao-agua-2


 

TESTE PARA AVALIAR URTICÁRIA COLINÉRGICA

O paciente é estimulado a realizar exercício físico (esteira, bicicleta ergométrica), o que provoca o aparecimento de pápulas.

Referências: Urticárias Físicas – Revisão. Lima et.al. Rev. Bras. Alerg. Imunopatol. – Vol. 31, n.6, 2008.
Urticária e Angioedema – Diagnóstico e tratamento – terceira edição – 2014 – Alfeu França e Solange Valle

URTICÁRIA DE CONTATO CAUSADA POR LÁTEX – TESTE USANDO UM DEDO DE LUVA OU A LUVA TODA

  

Quando se suspeita de urticária de contato por látex, pode-se cortar um dedo de uma luva de látex e colocá-lo no dedo do paciente por 30 minutos. Observa-se a ocorrência de reação. Se o teste for negativo deve-se usar a luva toda.

Bibliografia: Bueno de Sá A et al. Alergia ao látex. Rev. bras. alerg. imunopatol. – Vol. 33. N° 5, 2010.

Prova de função pulmonar (espirometria)

Paciente realizando a prova de função pulmonar
A prova de função pulmonar é importante na avaliação dos pacientes com doenças pulmonares. Durante o exame é usado um espirômetro, ligado a um programa de computador. Os dados do paciente são captados e comparados com valores médios previstos para essa pessoa.

A espirometria tem como objetivo avaliar a função pulmonar, a evolução das doenças e a resposta aos tratamentos usados pelos pacientes.

É indicada para avaliar doenças pulmonares crônicas (exemplos: asma e doença pulmonar obstrutiva crônica), avaliar desempenho físico de atletas, realizar avaliação de riscos nos pré-operatórios, reabilitação cardiopulmonar e avaliação da terapêutica medicamentosa.

Não deve ser realizada em pacientes com cirurgia abdominal/torácica e ocular recentes, aneurisma de aorta, infarto agudo do miocárdio recente e doenças agudas (como infecções respiratórias, por exemplo).

Cuidados para a realização o exame

Evite ingerir café, chocolate, chá, refrigerantes e bebidas alcóolicas antes da prova. Não fume, e suspenda medicamentos como broncodilatadores (12h antes), antialérgicos (48h) e antileucotrienos (24h).

Bibliografia

Fabio Morato Castro. Diagnóstico Clínico e Laboratorial em Alergia. Ed. Manole. 2012.


 

TESTE COM SORO E PLASMA AUTÓLOGOS

Pode ser usado para avaliar urticária crônica autoimune.

São injetados por via intradérmica o soro e o plasma do paciente na superfície volar do antebraço direito. É aplicado solução salina estéril como controle negativo. No antebraço esquerdo, aplica-se a histamina como controle positivo. Medem-se os diâmetros das pápulas logo após a aplicação do teste. Após 30 minutos a medida é repetida. O teste é considerado positivo quando a pápula é, no mínimo, 1,5mm maior que o controle negativo.

Bibliografia: Urticária e Angioedema: Diagnóstico e Tratamento. Editora Revinter. Terceira edição. Autores: Alfeu França e Solange Valle.

site-teste-soro-autólogo