Fitofotodermatoses – alergias provocadas por plantas

Aroeirite

As fitofotodermatoses são dermatoses causadas por plantas, com vários mecanismos patogênicos diferentes (irritação, mediadas por IgE, ação farmacológica, entre outros).

A aroeira é o nome popular de várias espécies de árvores da família Anacardiaceae. A aroeira-brava ou aroeira branca (Litheraea molleoides) é um exemplo relativamente comum no nosso meio. Não deve ser usada como tratamento medicinal, pois seu uso em forma de chá pode causar sintomas gastrointestinais. Em pessoas sensibilizadas aos alquil-fenóis (que são substâncias causadores de dermatite alérgica em pessoas sensíveis) ao passar próximo ou sentar-se à sombra desta aroeira, podem apresentar uma dermatite de contato caracterizada por vermelhidão, coceira e até bolhas durante vários dias.

A aroeira-mansa ou aroeira-pimenteira ou aroreira vermelha (Schinus terebinthifolius) não provoca a dermatose e é usada popularmente como fitoterápico para dermatites como a aroeirite. A semente do fruto da aroeira vermelha é usada de forma decorativa e para dar sabor em vários pratos culinários, pelo seu gosto suave e levemente apimentado.

Se estiver de férias no campo ou se quiser fazer atividades de jardinagem, use proteção adequada como luvas, calças compridas, camisas com mangas compridas, evitando o contato direto com as plantas.

Em caso de acidentes, seguem as dicas: as roupas que entram em contato com a planta devem ser trocadas; a área afetada deve ser lavada com água corrente; compressas geladas podem ser colocadas no local para diminuir a coceira; não colocar receitas caseiras na pele para não piorar os sintomas; o ato de coçar deve ser evitado para não piorar e não infeccionar as lesões.

 

Fitofotodermatite

limao

Fito = plantas, foto = sol, dermatite = inflamação

É uma reação alérgica na pele causada pela exposição solar após contato com plantas ou frutas (limão, laranja, tangerina, entre outras).

As lesões são avermelhadas e posteriormente escurecidas, associadas a coceira ou ardência e/ou sensação de queimação e em alguns casos bolhas com queimaduras.

Dicas de prevenção: quando fizer caipirinhas, sucos de frutas cítricas ou salada de frutas, evite exposição solar; sempre lave as mãos e o rosto ao manipular frutas cítricas ou tomar picolé de limão/tangerina e use diariamente o filtro solar.

 

Procure sempre atendimento médico antes de usar qualquer medicamento.

 

Bibliografia: Reis V.An. Bras. Dermatol. vol.85 no.4 Rio de Janeiro July/Aug. 2010