Alergia alimentar

É representada por qualquer reação anormal à ingestão de alimentos e aditivos alimentares. A alergia alimentar é mais comum em crianças. Estima-se que a prevalência seja aproximadamente de 6% em menores de três anos e de 3,5% em adultos.

A alergia alimentar por leite de vaca, ovo, trigo e soja desaparecem, geralmente na infância ao contrário da alergia ao amendoim, nozes e frutos do mar que podem ser mais duradouras e algumas vezes por toda a vida.

Pode se manifestar como: urticária (placas no corpo), coceira, náuseas, vômitos, dor abdominal, diarreia, edema de glote, falta de ar, entre outras.

O diagnóstico é baseado na história, exame físico e exames complementares (teste cutâneo e diagnóstico laboratorial) quando necessários.

O tratamento é evitar o alimento envolvido. Em vigência dos sintomas, estes devem ser identificados e tratados. Os pacientes com diagnóstico de alergia alimentar muitas vezes necessitam de seguimento com reavaliações periódicas e orientação nutricional.

 

Fonte:

Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar. 2008