Alergia a picada de formiga

Alergia a picada de formiga

As formigas são insetos sociais pertencentes à família Formicidae e à ordem Hymenoptera. Os himenópteros constituem a terceira ordem de insetos em termos numéricos, compreendendo cerca de 100 mil espécies de abelhas, vespas e formigas. A família Formicidae inclui as formigas-cortadeiras (saúva e quenquéns) e a formiga-de-fogo ou formiga lava-pés (as principais espécies são Solenopsis invicta e Solenopsis richteri). Existem mais de 12.500 espécies de formigas conhecidas, mas somente algumas espécies (Sonolepsis spp, Myrnecia spp e Pachycondyla spp) causam reações alérgicas.

Os venenos das formigas contêm várias substâncias (peptídeos biologicamente ativos) que causam reações tóxicas. Cada espécie tem uma variedade principal de proteínas. Podem causar reações locais (vermelhidão, dor com sensação de queimação, calor, inchaço, pústulas estéreis no local da picada) e reações sistêmicas (coceira, placas no corpo, náuseas, vômitos, queda da pressão arterial, etc – reações graves que podem até levar à morte). As reações podem ser imediatas, ocorrendo nas primeiras quatro horas após a picada, ou reações tardias, que ocorrem após quatro horas.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é baseado na história clínica, exame físico e exames complementares quando necessários.

O tratamento é individualizado, com uso de medicamentos sintomáticos e tratamento preventivo.

Prevenção

Medidas preventivas, evitando situações de risco de picadas de formigas, devem ser realizadas, tais como evitar deixar restos de alimentos nos ambientes, evitar deixar o lixo exposto, usar sapatos fechados, evitar ficar próximo a formigueiros.

Bibliografia: Ant allergens and hypersensitivity reactions in response to ant stings. Asic Pac. J. Allergy Immunol. 2015;33:267-75

Diagnóstico e Tratamento das doenças imunológicas. Mario Geller e Morton Scheinenberg. Segunda edição. 2015. Elsevier Editora Ltda.