Alergia ao Pólen

O pólen é o conjunto dos minúsculos grãos produzidos pelas flores, normalmente são arredondados e podem ser bem pequenos. Contém proteínas em grande quantidade e é o principal alimento das abelhas.

A polinização é quando ocorre a transferência de pólen dos órgãos onde são produzidos até à estrutura reprodutiva feminina.

Os grãos de pólens leves que são facilmente disseminados pelo vento, são aqueles que podem causar alergia. Após contato com as vias respiratórias, se depositam nas mucosas e produzem reação alérgica inflamatória.

A alergia ao pólen ocorre nos meses da primavera durante a polinização. É mais frequente em algumas regiões dos EUA e da Europa. No Brasil, ocorre nas regiões do Sul (Rio Grande do  Sul, Santa Catarina e Paraná).

Os pacientes podem apresentar sintomas como: lacrimejamento, vermelhidão e coceira ocular, espirros, coriza, coceira no nariz, aperto e chiado no peito, entre outros.

Pacientes alérgicos podem fazer algumas medidas preventivas durante a primavera: usar óculos escuros, evitar atividades de jardinagem, manter as janelas de casa e dos automóveis fechadas e durante as férias dar preferência aos lugares de praia em vez de campo.

Para os alérgicos que sonham em ter um jardim, segue a dica: as rosas podem ser uma opção por possuírem pouco ou nenhum pólen e pouco cheiro. Além disso, seu pólen é grande e pesado, dificultando seu transporte pelo ar.

 

Bibliografia: https://pt.wikipedia.org; https://www.bjai.org.br